terça-feira, 6 de maio de 2008

Coquinne


Como te amo
Orquidea selvagem
Quente é o teu corpo
Única a tua existência
Infinita a tua beleza
Nasci para te amar
No hoje, no amanhã
Eternamente

Sem comentários:

Enviar um comentário