quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Espero-Te

(Coquin)

Imagina-me…

…irromper por entre a bruma da noite...
…ao ritmo de uma envolvente melodia…

Mãos que vagueiam errantes pelos traços do corpo....
…roupas desalinhadas que deslizam lentamente...

Desnudo as formas voluptuosos do meu corpo para Ti...
….rasgando-Te avidamente em olhares provocantes…

Corpo despido no fragor da luxúria arrebatadora...
…incêndio que alastra sôfrego em labaredas…

Dança sensual no enlear de alucinantes gestos…
…hipnotizando-Te na insensata volição...

(Coquinne)


Esconde-te

...na sombra do meu olhar


Procura-me

....no suspiro que cala a voz


Arrisca

...aventura inevitável


Lembra-te

...dos silêncios partilhados


Quebra

...a implacável distância


Desafia

...o imprevisto


Entrega-te

...ao mesmo ar que respiramos


Espero-te

...deitada nas brumas da madrugada

...prisioneira na língua do silêncio

...perdida entre o hoje e o amanhã

...no desassossego que desespera

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Teu Templo

(Coquin)

Ténue linha do infinito horizonte
lugar onde o sol, no seu esplendor,
se quebra na imensidão do teu olhar...

No vazio da penumbra do meu quarto,
um novo despertar anseia por mim...

E agora?...

Vou para casa...
...esse lugar onde habita a plenitude do Amor...
...terminar de vez com o sofrimento desta solidão...

Não é tempo para esmorecer,
é tempo para, simplesmente Viver...

E agora?...

Vou para casa...
...onde me esperas na doçura alva desse sorriso...
...aguardas-me no suco delicioso dos teus lábios carmim...



(Coquinne)

Na ausência de palavras
Rasuro no papel imaculadamente branco
Suaves traços, como se teu corpo acariciasse
Esboço-te...invento-te no negro do carvão
...traços suaves

Escrevo na tua pele
Descubro o gosto de teu corpo
(inventado)
És um mundo inteiro
...que bebo e degusto
(nas noite e madrugadas despidas de Ti)

Indago a doçura dos teus lábios
Corpo indolente, no fogo que queima a alma
Entra no meu âmago....no meu santuário
...no teu templo
Sejamos luxúria...
no sagrado e no profano.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Despertar no teu respirar

(Coquinne)

Despertei...

Com o latejar da alma...
(acusando o cansaço)

Visto-me de alvoroços...
(num pulsar furioso)


Sou caminhante errante... solitária
No deserto estéril...

Onde deixo as minhas pegadas

Como testemunho da minha passagem
O vento apagará inexorável
...num vértice meu rasto


Sorrio lágrimas insípidas
Choro sorrisos...

(confundidos com lágrimas sólidas)
Resta um corpo desnudo de sentires


Apenas quero

...calar o silêncio

....gritar o sussurro
(que tarda em chegar)...


(Coquin)

Absorto no penoso esvair do tempo, enumero

as gotículas de chuva que sibilam lá fora...


Prolongo os meus braços na extensão deste vazio

que escorre na imensidão dos trilhos do deserto
suspirando por teu esbelto torso, nestas mãos

cravadas pelos pungentes grilhões, alcançar…

Acolher-Te na ternura deste leito que anseia
abraçar essa alvura resplandecente que emana

sublime das feições suaves desse esbelto rosto…


Assim ficar imersos no melodioso trago dos
compassos do tempo dos amantes enlaçados

no filamento puro do envolvente respirar...

domingo, 25 de janeiro de 2009

Mimo Nova Brisa


Nova Brisa... Miminho especial concebido por Nós, com o intuito de premiar a originalidade, ousadia e diferença...


Entreguem esta brisa com este doce veneno a todos os que no vosso entender fazem a diferença...

Entregamos esta brisa aos seguintes Recantos...


http://aschamasdofenix.blogspot.com/

http://www.breizhdaviken.co.cc/

http://asameiasdocrepusculo.blogspot.com/

http://gothicum.blogspot.com/

http://almacumplice.blogspot.com/

http://melgadoporto.blogspot.com/


http://ines-secrets.blogspot.com/

http://corposalmas.blogs.sapo.pt/

http://olhamenoluar.blogspot.com/

http://rituaisdomomento.blogspot.com/


Saboreiem o aroma desta Nova Brisa...

Conjugar o verbo Amar em dois tempos

(Coquin)


Amar-Te é…


…beber do caldo primordial, sentindo o
primoroso florescer da génese da vida…


…sentir o enérgico fervilhar do magma em
incandescente fusão no extasiar do pulsar…


…inalar o penetrante éter, experimentando o
arroubo supremo dos fenómenos metafísicos…


…saborear o magistral elixir, fortalecendo e
rejuvenescendo no manancial de vida eterna…



Amar-Te é…

...simplesmente, almejar entregar-Te a
plenitude deste meu Ser...


Amar-Te é Tudo, Coquinne!!!



(Coquinne)


Amo-Te...

...cada palavra lançada ao vento

...em cada brisa, que me trás o teu perfume

...em cada beijo que escreves no meu corpo


Amo-Te…
…quando me despes em pensamentos

...nos sussurros despidos de palavras

...quando ouves o meu olhar


Amo-Te…

...no grito dos teus silêncios

...quando tropeças nas palavras, mas falas com o sorriso

...no tatuar do teu desejo na minha pele


Amo-Te…

...no valsar dos nossos corpos desenfreados

...nos jogos proibidos que nos permitimos


Amar-Te…

...é um voo transcendental sem regresso

...é fecundar cada palavra com desejo

...é velejar no teu corpo... em cada verso

...desnudar-me de mim...vestir-me da imensidão do Nós

...é perpetuar desejos eternos

...entrega absoluta ao sabor de palavras escondidas


Transcrevo apenas uma suave bruma do que é Amar-Te Coquin…

sábado, 24 de janeiro de 2009

Sobrevivente ao Romantismo

O nosso blog foi presenteado com o selo "Sobrevivente ao Romantismo", criado pelo blog Sentimento Calmo...

Este mimo foi-nos atribuído pela Sophie_G...

http://www.olhamenoluar.blogspot.com/



Os coquins que se escondem atrás deste blog... em unanimidade elegeram alguns blogs (tarefa dificil)...

http://aschamasdofenix.blogspot.com/

http://www.olhamenoluar.blogspot.com/

http://gothicum.blogspot.com/

http://historiamentiraverdade.blogspot.com/


Blogs que visitamos, recantos onde a escrita floresce e apreciamos a magia que por aí transparece...

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Gemido silêncioso



Irrompe a noite
Como um gemido silencioso
Afola-se o corpo
Nos sentidos baralhados
Deixo que a alma

Escorra no meu corpo
Como notas desordenadas
Que me assaltam...
...as perguntas que não faço
...as respostas que conheço
(mas não quero ouvir)

Culpo palavras... emoções
Dou cor ás palavras...
...que a alma sussurra em gritos
Rasgo ecos (inaudíveis)
...com sons do mundo


Je T' Aime, Je T' Aime Coquin!!

Insanamente Louco!


No intenso fitar desse olhar
confesso...
...o quão loucamente Te Amo...
...o quão preciso entregar-me a Ti...

O que seria deste Ser sem a cristalina
luz da tua presença?...
...um mero caminhante errante numa
busca incessante pelos trilhos do nada...
...um homem despido do manto
transcendente da alquimia do Amor...

Desnudo-me nos umbrais da incompleta
sombra...
...desta branca página vestida de eloquentes
palavras onde fecundo o sentimento que brota...
...quando quero minhas vestes rasgar e nessas
tuas transparentes águas mergulhar...

Toma-me pela delicada tua mão
e entranha-me por inteiro em Ti!...


Je T'Aime plus que tout Coquinne!!!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Aroma Púrpura

(Coquin)

No sublime verter...

...o poderoso jorrar...

Suave inalar...

…inebriante seduzir...

Nuvem aromática...

...enérgico fermentar...

Excelsa harmonia...

...dos sentidos enlevar...

Embriagante olor...

...no arroubo do paladar...

Na mescla dos lábios...

...o momento coroar...


(Coquinne)

Uma taça...

...Cor da noite

...vermelho escarlate

...aroma púrpura

...paladar topázio

...gole de veludo

Cúmplice…

....dos amantes

...dos poetas

...dos bons momentos

(e dos menos bons também)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Acordei... no teu Abraço

(Coquin)

Hoje…

…recebo a tua fragilidade na fortaleza dos meus braços…
…afago o teu cansaço no aconchego da ternura do meu peito…
…enxugo as tuas lágrimas no delicado trago dos meus lábios…
…enlaço as tuas loucuras na etérea cumplicidade do meu abraço…

Hoje…

…simplesmente, perpetuarei o hoje no sublimar do sorriso no teu rosto…


(Coquinne)

Hoje acordei...
...cansada de ser forte
...exausta das minhas fraquezas

Hoje quero beber
...da tua sede de viver
...das tuas gargalhadas
...aprisionar tuas palavras
...o grito do teu saborear

Hoje sei...
encontrei em Ti o que procurava em mim...

Hoje faço, almofada...
das palavras que nos dizemos sem falar

Neste momento quero-Te
...no silêncio dum olhar
...no pulsar dum abraço
...numa mão entreaberta

domingo, 18 de janeiro de 2009

Goles de silêncio




Ausento-me...
Invadida do vazio....
Procuro a solidão
momento que contemplo
Na névoa do anoitecer
Sombras de vento sussurram mímicas

Vagueio
....em soluços num sono profundo
Presa fácil de lágrimas melancólicas
Sorvo o mundo em goles de silêncio
Corto o vento com um gesto tímido

Sou viajante solitária dos meus sentires
...em cada uma destas viagens
descubro como me mover...nos meus vazios
como resgatar forças...
renasço... navegante intemporal
reinvento-me... na insanidade, na loucura...


Amo-Te de corpo e alma Coquin

Leito dos Amantes


Despertamos…

…suavemente no secreto leito dos amantes…

…no afago silencioso do trago de nossos lábios…

…absortos no êxtase supremo do elevado beijo…

…arrebatados na mescla libidinosa das secreções…


Um pequeno aroma da fragrância daquele despertar por que tanto almejamos…


Amo-Te Loucamente Coquinne!

Limbo das memórias


Intermitentes sentires que nos alimentam
nocturnas brumas desfolhadas vezes sem conta
entregamo-nos no consolo da espera
procuramo-nos nas palavras amarrotadas
que o tempo teima em apagar
amarelecidas a cada dia
entre versos e riscos banho-me em promessas
rendo-me à inércia das tuas ausências

Trago ávida cada madrugada
rasgo-me no limbo das memórias
pintamos medos, com tonalidades incandescentes
somos compassos ritmados pelo beijo
acorrentamo-nos ás horas com raios de luz
obstinados acorrentamo-nos no mesmo corpo
…na mesma alma


Je ' Aime passionement Coquin

P.S...Acaba de vez com esta ausência, esta inércia insuportável :)

Partida Anunciada... ou Partida Ansiada...


Estação de São Bento…

…terminal dos comboios…
…azáfama de passageiros…
…frenesim no entra e sai das carruagens…
…destino almejado ou anunciada partida…


Absorto nos carris da identidade…

…procuro-Te inconscientemente…
…por entre a multidão de rostos sem nome…
…na expectativa de alcançar o brilho do teu olhar…
…absorvendo a atmosfera na esperança de Te respirar…

Última chamada para o exequível destino …

…rumo aos amarelos compartimentos…
…por entre passos dispersos no vazio…
…acomodo-me confortavelmente…
…contemplo a difusa paisagem…

…Sigo viagem, esboço um sorriso, sei que
numa próxima paragem vais embarcar…

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Morro no teu Corpo...


"Por minha culpa... minha tão grande culpa..."



(Coquin)


Irresistível sedução…

…fascinado, suspiro…

Suculenta tentação…

…rendido, prostro-me…

Fulgurante luxúria…
…arrebatado, contemplo…

Confesso meu pecado…
Murmuro minha culpa,
minha tão grande culpa…


Nos prazeres da carne…

…oferto o vigor do desejo…

Na insaciável gula…

…consagro o arroubo íntimo…

No deleite lascivo…
…exalto o supremo incenso…



(Coquinne)


Escrevo em ti
como num papiro...tinta púrpura
rasgo o teu desejo
rendes-te num suspiro...
respiras a tentação em carícias interditas
embriago-te em gotas de pecado
pincelo teus lábios com beijos tórridos
ofereço-te com fervor o perdão

pedes absolvição...dou-te o êxtase
comungo nos teus delírios
peco em Ti
...morro no teu corpo
unguento perfumado de loucura
somos infâmia efémera...
...gememos pela redenção

sou pecadora...peco por te amar
culpa...minha grande culpa

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Viagem intemporal



Voou o meu pensamento
viajei....por segundos
...viagem intemporal
sem espaço para ser cronometrada

(somos desatentos…)
Cruzo-me com olhares
de ninguém... que deixam rastos
delicio-me com sorrisos que nunca vi...
mas semeiam carinho...
Palavras escritas...que nunca ouvi
(mas traguei com carinho)
mas deixam melodia...

Falo da essência...
....do brotar de palavras
( desinteressadas)
Falo da penumbra
...em que nos escondemos

Falo do refugio
...que inventamos
Falo do que nos une
...a mesma paixão

Abrando o ritmo
...para te dizer...

Falo...
...de ti
...de mim
...de nós

De cada um com quem me cruzo
neste tumulto, que deixa marcas...
Não preciso de um rosto...
(eu desenho... imagino)

Penso no punhado de palavras
...que trocamos
... que escondem sorrisos
...gargalhadas

Hoje...vou ficar...
... prostrada
...silenciosa
deixar que o meu olhar mergulhe no vosso
apenas...
por nano segundos

(cada um de nós deixa marcas, umas resistem ás intempéries, outras apagam-se docemente)


P.S. Aproveitamos para deixar o nosso sincero agradecimento ao amigo Gothicum pela menção para o prémio 'Dardos'.

Desalinho



Desalinho...
pensamentos que trago enrolados
brinco com poemas que jogo ao vento
tento equilibrar a balança
... entre o riso e a lágrima
Embrulho o sorriso
...solto a lágrima
ténue linha entre
...entre o choro e o riso
as lágrimas soltam-se em palavras
o sorriso é um canto silêncioso

Ignóbil Patamar


Ardilosa esperteza esta
saloia de tantos e tantos…
Donos de uma verdade
apregoada aos sete ventos…

Senhores de si mesmo
ataviam sendas e veredas…
No poleiro adquirido
pavoneiam as conquistas…

Suseranos no feudo
da inverosímil altivez…
No ignóbil patamar
ostentam a pequenez…


Je T'Aime à la Folie Ma Adorable Coquinne!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Quando Te Confesso


(Coquin)


Aflorar rubro...
...dos sentidos...
Atear incandescente...
...na luxúria...
Suspirar insano...
...do desejo...
Desbravar ávido...
...na loucura...
Devorar sôfrego...
...da gula...
Arrebatar triunfal...
...no deleite...
Arquear desenfreado...
...do êxtase...
Saborear eterno...
...no momento...



(Coquinne)


Desassossega-me
com teus lábios de fogo
dá-me a eternidade num suspiro
tatua a química do teu corpo no meu
prova os meus beijos

saboreia os meus desejos
morde mordisca....lambe
rende-te á magia louca
derrete-Te em mim

devora-me a carne...insanamente
deixa em mim...a chama
somos corpos geometricamente fundidos
sentidos embebidos de prazer

No meu corpo deixas...
vestígios da tua gula...da nossa luxúria

Voo escarlate


Deixa-me voar...

Chegou a hora...de levantar voo
esquecer distância, tempo
planar nas correntes

sentir o aroma da liberdade
respirá-la...
esquecer elos, grilhetas, amarras
polvilhar o universo com a minha passagem

deixa-me voar
...pela eternidade
deixa-me voar...
derramar meu pranto no deserto cristalino

deixa-me voar
e adormecer ...
no escarlate de cada crepúsculo


terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Confissões Escaldantes


(Coquin)

1. Pecado Capital: Gula ou Luxúria?...
Humm, sem duvida, gula voraz, com uma dose de luxúria (pode ser Coquin?)

2. Um verdadeiro manjar dos deuses seria?...
O verdadeiro manjar dos deuses...un petit dejeuner french, servido na bandeja do teu corpo (com tudo a que tenho direito), que será que acontece á bandeja??, mordisco-a lentamente sem pudores... (o resto fica entregue á tua imaginação!!!).

3. Qual a fantasia que adorarias saborear sem pudores neste preciso momento?...
A fantasia que dança no meu pensamento neste preciso momento (fecha os olhos), beijar-Te loucamente, despir-te impaciente, sentir o teu corpo suspirar... deitar-Te na mesa da cozinha devorar-Te sem pressas...saciar nossos corpos famintos... (apetece-me terminar no duche?)

4. Qual a zona erógena mais sensível do teu corpo?...
Tu sabes quais Coquin, mas mesmo assim... (uma apenas??), a nuca, o pescoço, quando a tua língua ousada desliza lentamente deixando um rasto de loucura...insana, meu corpo estremece, um ' frisson' percorre-me, despertas o desejo ardente...

5. Preliminares: dispensáveis ou absolutamente essenciais?...
Preliminares são absolutamente essenciais...o despertar dos sentidos, um jogo de sedução silencioso, dedos que procuram e encontram, lábios que acalmam e desassossegam, reclamando-se mais e mais...

6. Apareces de surpresa no meu local de trabalho quando todo o mundo já se foi embora... Como fazes para me seduzir?...
Humm... (será que resistes...???) entro de mansinho no teu escritório, desato o cinto do casaco, sussurro o teu nome...mordisco os teus lábios, faço deslizar o casaco lentamente, fico semi desnuda (apenas uma lingerie sexy, sensual, meias ligas, escarpins), sento-te delicadamente na cadeira, coloco-me atrás de Ti, sussurro ao teu ouvido palavras ousadas, provocadoras... beijo o teu pescoço, mordisco a tua orelha, sento-me no teu colo...mergulho nos teus lábios...
Afasto-me de Ti.... (quem seduz quem?)... os teus olhos deslizam no meu corpo...o teu corpo geme, arrepia de desejo...o teu pulsar enlouquece, o teu respirar altera-se...mordisco os meus lábios...
Entrego-Te os trunfos, o jogo está nas tuas mãos...
Cansado ou rendido???

7. Fazer Amor ou praticar sexo selvagem?...
Fazer Amor, com uma brisa selvagem (ao sabor do momento e do desejo)...momentos que ambos devem saborear, provocar até ao prazer máximo, entrega total, absoluta, loucura... selvagem q.b.

8. Um poema como síntese desta loucura... Alicia-Te?...
Confesso pecados
desejos insanos, secretos
segredo palavras ousadas
incendeio teu corpo

Somos cor de fogo
...cor do prazer
acto sublime
Quero o teu sabor
... teu gemido
... teu calor

Somos
...arrepio
...vontade
...prazer
...beijo
...partilha, entrega
...loucura assumida, sentida

Inunda-me de Ti
brinca com as minhas fantasias…


(Coquinne)

1. Se eu fosse um pecado, seria...?
Se Tu fosses um pecado serias uma mescla de Luxúria e Gula... És a Luxúria que me enlouquece e a Gula que desejo veemente...

2. Imagina que sou um dos teus poemas… (.qual ?)
Pergunta difícil Coquinne... Tu és a Musa que me inspira em cada Poema... És o traço que desenho em cada verso... Assim num ápice surgiu-me 'Ninfa dos Rios'...

3.Que lês nos meus silêncios?
Humm... Nos teus silêncios leio cada traço da aura transparente que o teu Ser emana... Saboreio o gosto íntimo e suave que transparece no trago do teu silêncio...

4. Uma palavra que Te incendeie...
O teu sussurro 'Devora-me'...

5. Fecha os olhos...imagina que a minha língua lânguida Te percorre ( onde e como?)
Humm... Estás a deixar-me com água na boca... E isso é perigoso, muito perigoso... Fecho os olhos e sinto a tua ávida língua contornar subtilmente a minha orelha, saborear lentamente cada poro...

6. Uma loucura que não ousas confessar...
Queres que revele uma loucura que não ouso confessar?... Hummm, contigo tenho descoberto e partilhado cada loucura ao sabor deste alucinante desejo que me trespassa... Amar-Te na plenitude dos nossos corpos em pleno deserto do Sahara, numa noite de lua cheia...

7. Uma peça de roupa feminina?
Apenas uma?... Humm... Uma lingerie preta ousada, elegante, sensual... (No elegante e sedutor porte do teu corpo, é claro...).

8. Se Te disser que estou á tua espera nua....tua, que aguardo os teus lábios... (talvez um poema?)

Nua,
esbelta e sedutora,
aguardas-me impaciente...

Teus lábios
entreabertos, tentadores
suplicam insanamente
o toque dos meus...

Percorro-Te ávido,
num olhar rubro,
devoro-Te faminto,
nesta gula voraz...

Enlaço-Te...
Sacio nossa fome...
Amo-Te, Simplesmente...

domingo, 11 de janeiro de 2009

Conjugar o Desejo


Acto I

Inflamo as velas espalhadas pelo salão,
na aparelhagem coloco nossa música suave…
Derramo suaves pétalas encarnadas,
extraídas de rosas frescas perfumadas…

Num súbito gesto apago as luzes,
coloco o aromático incenso a arder…
Aconchego-me sobre a manta de veludo,
deixo-me flutuar no ritmo da melodia,
imaginando o teu deslumbrante assomar…

Acto II

Chegas envolta numa aura incandescente,
vertendo o teu aroma inebriante pela atmosfera,
deslizando sensualmente por entre a penumbra do salão…

Nesse elegante porte do teu vestido preto,
delineando os contornos sedutores desse esbelto corpo,
danças graciosamente embalada em cálidos acordes…

Acto III

Percorro-te silenciosamente com o meu olhar rubro,
desnudando lentamente a voluptuosidade dessa silhueta…
Sinto o flamejante acelerar da cadência do meu pulsar,
invadido pela avidez impaciente do desejo ardente…

O ambiente torna-se cada vez mais febril,
no extravasar deste impetuoso fogo que incendeias,
os poros da minha pele esvaem-se em suores insanos…

Acto IV

Aproximas-te deste meu corpo que fervilha a teus pés,
no glamour fulgurante desse caminhar em saltos altos…
Sem pudores afagas teus seios em subtis carícias profanas,

desvendando demoradamente todo o tesão dessa libido…

Avivas energicamente esta labareda que me aflora,
no ímpeto vigoroso do insano desejo que me consome,
liberto um rouco murmúrio suplicando que me possuas…



(Coquinne)

Vem...
enxugar minha pele ensopada
....de medos, ausências, melancolias
veste-me de sorrisos...segredos
despe-me em prosa silenciosa

faz-me orvalho do teu desejo
conquista meu império
com apelos secretos
deixa que me afogue...nesse olhar tranquilo

Solta os teus dedos em sílabas
dá-lhes liberdade
tatua no meu corpo teu perfume
...nossa cor

Sussurra meu nome
...numa brisa salgada

sábado, 10 de janeiro de 2009

Amantes Secretos


(Coquin)

Leves filamentos esvoaçam rebeldes
ao ritmo do impulso da aragem glacial…

No silêncio dessa imperceptível gesticulação,
derramam carícias atrevidas sobre ramos despidos,
matizando a substância pálida em tons branco celeste…

Assoma sobre a camada agreste da superfície terrestre
a transparência pura anunciada em cristais liquefeitos…



(Coquinne)

Cai docemente no embalar do vento
Cobre almas com um manto branco
Sussurra um canto silencioso

Chega com os primeiros raios de sol

É pena branca que pinta telas intempestuosas

...caprichosas
...alva, macia...

Seu cúmplice o vento

Fá-la dançar...

Rodopiar graciosamente
Enlaçam-se, como amantes secretos

Valsam leves como pétalas

Par perfeito… etéreo
São beijo atrevido, roubado


Dança que nos hipnotiza, nos embriaga
Deixam-nos uma página branca...

(onde cada um rabisca desejos e sonhos)

Abre-nos as portas...um mundo de fantasias...

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Alma exilada


Esbarro nas madrugadas
Vagueio no abismo do vazio

Sou rochedo desgastado…
Corpo imune á vida
Penedo esculpido
Pela violência das marés

Debato-me com pensamentos incoerentes
Sou alma dilacerada, pela espera
Restam as sombras das lágrimas


Sou brado silencioso
Alma exilada...
Palavras vazias


(Coquin)

Brado silencioso
irrompes pelo vazio
da exilada madrugada..

Rocha coerente
no esbelto esculpir
és corpo cheio de vida...

Alma de poetisa
vertes lágrimas cristal
no derramar de cada palavra...

Becos Vazios


(Coquin)

Desnuda-se gelada esta madrugada,
na imensidão vazia do leito que me espera…
Despido de sentido aporto este corpo despojado
do calor que emana essa tua silhueta esbelta…

Inalo o odor destes lençóis de flanela
que me envolvem nesta redoma de solidão,
na esperança de conseguir destilar o subtil aroma
que a tua pele de veludo graciosamente irradia…

Prisioneiro do tempo que verte lento
no ténue fio dessa miserável ampulheta…
Clamo humildemente em silenciosos bramidos
que me resgates desta insuportável escuridão…


(Coquinne)


Esbarro nas madrugadas
Vagueio no abismo do vazio
Sou rochedo desgastado…
Corpo imune á vida
Penedo esculpido
Pela violência das marés

Debato-me com pensamentos incoerentes
Sou alma dilacerada, pela espera
Restam as sombras das lágrimas

Sou brado silencioso
Alma exilada
...Palavras vazias

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Respiramos o Mundo



Imóvel no silêncio
Emolduro o universo, num sorriso
Somos risadas
...choro silencioso
És fragrâncias
...que transporto comigo
Somos serenidade e tormenta
Vestidos de coragem
Afrontamos avalanches e derrocadas

Recolhemo-nos no nosso templo
Armados de estrofes
...versos
...rimas
Serpenteamos espaços
...linguagens límpidas

Desenhamos poesia nas constelações
Tocamos vendavais
Em carícias fugazes
Brincamos com o tempo...desenvoltos

Domamos as horas agilmente
Somos batidas supremas
Talhadas na pedra filosofal
Refrescamo-nos...em devaneios místicos
Trocamos olhares embebidos de enigmas
Flutuamos...
Respiramos o mundo...

Ténue Fronteira


Homens que acordam no estilhaçar
estrondoso dos embotados petardos,
arrasando nesse vil instinto bárbaro
a ténue esperança do novo despertar…

Vidas humanas jazem despedaçadas
no suplício da sanguinária execução,
esvaindo profunda e silenciosamente
às mãos sujas da tirania e opressão…


"Imagine there's no countries,
It isn't hard to do,
Nothing to kill or die for,
No religion too,
Imagine all the people
living life in peace...

You may say I'm a dreamer,
but I'm not the only one,
I hope some day you'll join us,
And the world will live as one"
(Imagine – John Lennon)


http://www.youtube.com/watch?v=jpqKA9_ddFk

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Suspiros

video


Ao sabor do entrelaçar de momentos, poesia, desejo, amor, paixão...


Suspiros que tocam a eternidade... despertam a avidez dos corpos....


Je T'Aime Passionement Ma Adorable Coquinne!...

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Bebo o teu vazio



Os meus lábios bebem o teu vazio
Fundo-me nas tuas lágrimas
Somos saudade acesa e viva
Reescrevemos parágrafos
Nos contornos do amanhecer
Descobrimo-nos no crepúsculo
Perdemo-nos no lusco fusco das noites frias

Enviamos recados codificados ao universo
Bebemos confissões
Brindamos aos sabores, aos aromas
Cobrimo-nos com os doces reflexos do luar
Apaziguamos corações descompassados
Acreditamos...resistimos, aninhados neste embalar
Deito-me no leito do teu corpo
Onde me alimento de Ti

Somos tempestade secreta
Adoçamos a distância com favos de mel
Somos grito que emudece os nossos corpos
Tropeçamos em encontros e desencontros
Desafiamos as leis da física... da saudade
Sentamo-nos nas encruzilhadas
Escutamos o fervilhar deste grito
Passo a passo vamos sobrevivendo
Algemamos almas
Mesmo esgotados caminhamos
... de mãos entrelaçadas
Juntos somos pilar

Je T' Aime, Mon Coquin